Agência Telebrasil
Expediente


A Telebrasil

Fortaleza reformula lei de antenas municipal e ganha 75 posições no Ranking Cidades Amigas da Internet
Agência Telebrasil
19/06/2019

Cidade cearense já desponta na oitava posição entre as capitais e na 22ª posição geral no ranking, produzido pela consultoria Teleco. A prefeitura decidiu, em 2017, simplificar e desburocratizar a legislação para ampliar a infraestrutura de banda larga.

Em 12 meses, Fortaleza deu um salto de 75 posições no Ranking Cidades Amigas da Internet e saiu das últimas colocações para a 22ª. A boa performance fez a capital cearense aparecer na 8ª posição no Ranking entre as capitais do País. A guinada aconteceu porque a gestão pública reformulou a sua legislação, observou a secretária da prefeitura de Fortaleza Maria Águeda Caminha.

A jornada para se tornar cidade amiga da internet começou com a revogação da Lei Complementar nº 8914/2014, que determinava uma distância mínima para instalação de antenas, o que levou ao indeferimento de mais de mil processos de licenciamento. Em 2017, o município aprovou a Lei Complementar nº 230, que mudou o a forma de licenciar antenas.

“Tentamos elaborar uma legislação em conjunto com as prestadoras de serviços de telecomunicações. É uma única licença, mas tem categorias, e definimos também os critérios de isenção para alguns equipamentos”, explicou a secretária. Maria Águeda Caminha considera que ainda existem alguns pontos de melhoria, como a revogação da emenda proposta pelo vereador Acrísio Sena, que coloca raio de distanciamento de escolas e hospitais, que, na visão da secretária, são áreas críticas e onde são muito necessários os serviços de telecomunicações. A previsão de revogação da emenda, segundo ela, é para este ano.

O licenciamento das antenas nos municípios continua sendo um entrave para o avanço da conectividade e dos serviços de telecomunicações no Brasil. Apesar da promulgação da Lei das Antenas (nº 13.116), em 2015, que estabeleceu normas gerais para implantação e compartilhamento da infraestrutura de telecomunicações, as prestadoras de serviços ainda enfrentam empecilhos na hora de implantar e expandir suas redes, seja para instalar antenas, seja não tendo a gratuidade no direito de passagem. Assistam à entrevista com Maria Águeda Caminha.

LEIA TAMBÉM:

15/10/2019
Jovem de 18 anos cria modelo de alfabetização a partir do uso da robótica

15/10/2019
Universidades voltadas para TICs ainda não entraram no século 21

15/10/2019
Educação a distância remodela a formação dos novos profissionais

09/10/2019
Mudanças incentivam novas redes e melhores serviços

09/10/2019
Uma lei voltada para o futuro

08/10/2019
Sociedade é quem ganha com o novo marco legal de telecom

08/10/2019
Lei abre espaço para a expansão da banda larga

08/10/2019
País sai do atraso com o avanço das telecomunicações

08/10/2019
Anatel: agora é conciliar os interesses público e privado

08/10/2019
Revisão do marco legal de telecom traz segurança jurídica aos investimentos


 

Setor de telecom lança campanha de sustentabilidade pela fatura digital

Todos os meses, 76 milhões de clientes de serviços de telecom ainda recebem a fatura impressa. Em média, são 152 milhões de fol ...

LEIA MAIS



Bolsonaro: "Temos uma oportunidade ímpar de mudar o Brasil"

Presidente da República, Jair Bolsonaro, destacou que a Lei 13.879/19, que atualizou o marco Legal de Telecom, vai proporcionar ...

LEIA MAIS



Mitsubishi Electric cria programa de capacitação gratuita nas novas tecnologias

Empresa global de automação centraliza os treinamentos em big data, machine learning e IoT. As aulas acontecem por meio de apre ...

LEIA MAIS



Organizações reclamam da falta de qualificação dos profissionais de Internet das Coisas

Lacuna de habilidades é um dos pontos críticos para o incremento dos negócios conectados, revela a pesquisa IoT Signals, produz ...

LEIA MAIS



Agência Telebrasil Copyright © 2018-2019 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações
A Reprodução do conteúdo da Agência Telebrasil é autorizada mediante a indicação da fonte